A Honda está promovendo desde o início do ano uma série de atualizações nas sua linha de motos líder de vendas, sendo que esta foi considerada uma das alterações mais radicais de toda a história. E agora algumas alterações que já haviam sido promovidas na linha 150 chega também a moto de entrada da montadora, a CG 125 Fan, a mais básica do Brasil.

Honda renova CG 125 Fan

Apesar de ainda manter como principal público alvo pessoas que dependem da moto para trabalhar e que precisam circular muito, como é o caso dos motoboys e dos motofretistas, ela acabou perdendo a cara “simples demais” para apresentar alguns itens mais interessantes.

Visual mais moderno

Ao colocar os olhos sobre o novo modelo de motos já é possível perceber as alterações visuais pela qual passou a CG 125 Fan. De um modo geral ela já consegue passar um ar muito mais moderno do que o modelo passado. Para começar na parte da frente, que acabou aposentando de vez o farol redondo que estava presente desde o primeiro modelo da moto, lançada no ano de 1976.

Mas não é apenas na parte da frente que é possível perceber a diferença, a moto de ponta a ponta apresenta detalhes e linhas que fluem melhor, deixando o visual dela mais arrojado. A parte de trás, por exemplo, está mais esportiva do que nunca e o novo modelo também ganhou algumas carenagens envolvendo o tanque.

De acordo com as informações que foram divulgadas pela própria Honda, cerca de 90% da estrutura da moto acabou sendo alterada, deixando ela 3,8 kg mais leve.

A atualização também chegou ao painel da moto, que agora é digital de série. Apesar de ser u grande avanço, a montadora peca ao não incluir o marcador de combustível no painel. Ou seja, o condutor precisa sempre ficar de olho na luz de reserva para saber quando precisa abastecer.

Mesmo motor

Apesar de todas as mudanças que foram feitas no visual e também ema alguns itens, o motor da moto continua o mesmo, de 124,7 cilindradas carburado em todas as configurações. Esta foi uma decisão fundamental para que a moto conseguisse manter o mesmo preço e deixar os modelos um pouco mais caro para a linha 150.

Como a Honda não mudou nada na moto em termos de motor, ela continua entregando os mesmos 11,6 cavalos de potência. Mas como a estrutura da moto agora está mais leve ela também consegue ganhar mais fôlego.  Além disso, as alterações fizeram com que a moto ficasse 7% mais econômica, fazendo em média 44 km/l.